09/01/2020 - O Lago dos Cisnes da São Paulo Companhia de Dança retorna aos palcos na Temporada 2020, além de grandes estreias


A São Paulo Companhia de Dança (SPCD), corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, anuncia a Temporada 2020, titulada “Permanência e Inovação”. Serão quatro programas ao longo do ano com três estreias, totalizando 10 coreografias de grandes coreógrafos brasileiros e internacionais que serão exibidas no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo.

“Há possibilidade do convívio entre permanência e inovação. [...] A cada vez que dançamos, vivemos uma experiência singular, seja pelo bailarino ou pela plateia. O que permanece e o que se modifica? A essência dos movimentos e da criação permanecem, mas sempre será diferente no corpo de cada um que vier a integrar a obra e na percepção de quem vê. Toda dança é feita de Release para a Imprensa mudança – integrando novas qualidades, sem perder a essência”, explica Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança.

A venda de novas assinaturas segue até o dia 31 de março. Dentre os benefícios de se tornar um assinante da SPCD, estão: a possibilidade de obter os ingressos com desconto, escolher antecipadamente o lugar onde deseja se sentar no teatro, ter direito a visitas na sede da SPCD (mediante agendamento prévio) para assistir aos ensaios da companhia, além de outras vantagens. A assinatura para os 4 programas custa a partir de R$ 136,00. As compras podem ser realizadas por meio do site da Companhia (www.spcd.com.br) ou pelo telefone (11) 3224-1383.

Temporada 2020 O primeiro programa, em junho, terá a volta do grande clássico O Lago dos Cisnes, uma criação de Mario Galizzi especialmente para a São Paulo Companhia de Dança, a partir do original de Marius Petipa e Lev Ivanov. A obra contará com todo o corpo artístico da Companhia, bem como solistas e figurantes convidados. As apresentações acontecem ao longo de três semanas e meia no mês de junho (06 a 07, 10 a 14, 17 a 21 e 24 a 28).

Em setembro, serão três programas distintos. De 11 a 13, estreia a primeira obra do coreógrafo residente da SPCD, Stephen Shropshire. Rococo Variation, investiga a relação da dança contemporânea com o virtuosismo da dança clássica, em uma relação direta com a música de Tchaikovsky. Na mesma semana, serão apresentadas obras já pertencentes ao repertório da Companhia com características marcantes: a intensa e premiada Agora, de Cassi Abranches; a vibrante Vai, de Shamel Pitts; e a clássica A Morte do Cisne, de Lars Van Cauwnbergh, inspirada na obra de Michel Fokine.

Na semana seguinte, de 17 a 20 de setembro, acontece a estreia da obra de Henrique Rodovalho, Só Tinha de Ser com Você, uma sensível e singular releitura coreográfica do álbum Elis & Tom, clássico da música brasileira. Trick Cell Play, criação premiada de Édouard Lock, coprodução com o Festival Movimentos em Wolfsburg, na Alemanha, completa o programa. 

Encerrando a Temporada 2020 da SPCD, o repertório de 24 a 27 de setembro trará a estreia da criação de Ana Catarina Vieira, uma obra que mistura as linguagens das danças populares brasileiras com o balé clássico e a dança contemporânea. Além da novidade, a semana terá a instigante Gnawa, de Nacho Duato, e a intensa Anthem, de Goyo Montero.

Sobre a Companhia de Dança 

Criada em janeiro de 2008, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é um corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos XIX, XX e XXI de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas, especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 732 mil pessoas em 17 diferentes países, passando por aproximadamente 145 cidades, em mais de 960 apresentações. Desde sua criação, a Companhia já acumulou mais de 30 prêmios, nacionais e internacionais. Além da Difusão e Circulação de Espetáculos, Release para a Imprensa a SPCD tem mais duas vertentes de ação: os Programas Educativos e de Formação de Plateia e Registro e Memória da Dança.

INÊS BOGÉA 

É doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora, professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP) e autora do “Por Dentro da Dança” com a São Paulo Companhia de Dança na Rádio CBN. De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora de diversos livros infantis e organizadora de vários livros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança. 

Foto: Cena de O Lago dos Cisnes, de Mario Galizzi: obra volta na Temporada 2020 | Crédito: Sílvia Machado

Voltar