12/03/2020 - Enlace: vivências em dança- Santa Maria - RS


DESCRIÇÃO DO EVENTO

Procurávamos iniciar o ponto, traçar uma linha e arrematá-la, a fim de um significativo tecido. Percebemos que, assim como na costura, para iniciarmos, precisávamos do nó(s). 

Nós que reunindo pontos por meio do corpo e (seu) movimento teceríamos uma nova experiência: Enlace: vivências em dança.

Um evento que reunirá corpos em movimento, no dia 15 de março, com  6 oficinas: pela manhã e tarde, a partir das 08 h e 30 minutos na Casa Círculo. 

Serão oficinas de 50 minutos cada, dentre elas:

  • Turno manhã 

8h e 30 min-  Credenciamento
9h à 9h e 50 min- Oficina de yoga dance/  Facilitadoras: Cleonice Weber e Denise Braga

Uma prática que mistura a liberdade do corpo com posturas de yoga, meditação em movimento, respiração e equilíbrio dos centros de energia do corpo.

10h à 10h e 50 min -Oficina de dança do ventre tribal / Facilitadora: Juliane Costa

Somos corpo, mundo e terra, numa grande teia interconectada. Explorar movimentos traz consciência e memória. Misturar movimentos e culturas revela, através da dança, uma narrativa que se escreve sem palavras.

11h à 11h e 50 min- Oficina de dança terapêutica/  Facilitadora: Milena Colognese

Dançar como uma meditação ativa, fortalecer o músculo da presença e revelar a própria dança. O método de dança terapêutica desenvolvido por Ana Cândida Zanesco possibilita um caminho de transformação pessoal. Essa proposta “não é fundada no olhar do outro, de ter alguém aprovando ou referendando a qualidade dos movimentos, mas sim no olhar para si, para dentro, testemunhando como os movimentos disparam imagens, sentimentos e emoções em quem está praticando. E a partir da elaboração do que emerge na dança é possível dar um salto de percepção sobre si mesmo”. Juntos, vamos atravessar esse caminho por dentro, ancorando o processo de cada um e corporificando o sentir com movimentos dançados. Essa oficina destina-se a todo ser humano, de qualquer idade, sem necessidade de qualquer tipo de habilidade corporal, o qual esteja disponível e aberto para a jornada do autoconhecimento.

12 horas até 14 horas- intervalo

  • Turno tarde

14h à 14h e 50 min- Oficina de corpo em movimento, espaço em transformação / Facilitador: Geison Sommer

A oficina proporciona uma vivência de descoberta sobre a potência do corpo através do movimento. Presença, impulso, consciência e fluxo são princípios que guiarão o trabalho enquanto os participantes buscam caminhos para traduzir o seu universo imaginário no movimento do corpo. Construída através de práticas e técnicas teatrais, a oficina contribui para o encontro e o florescer do seu ritmo pessoal dentro de um fluxo de trabalho criativo.

15h à 15h e 50 min- Oficina de dança contemporânea / Facilitador: Crystian Castro

A oficina de Dança Contemporânea procura investigar/experimentar as possibilidades do corpo em movimento. Portanto, trabalha-se exercícios em contato com o solo, experimentações e (re)conhecimentos das alavancas do corpo bem como quedas e recuperações. A combinação desses exercícios enfatiza o uso de diferentes dinâmicas de movimento no/com o corpo, especialmente na busca por compreender as especificidades de cada corpo-sujeito.

16h à 16h e 50 min- Oficina de balé afro / Facilitadora: Karen Tolentino 

A oficina será acerca da Dança Afro-Brasileira, a qual pode ser considerada uma referência para toda e qualquer prática de dança relacionada ao fenômeno da diáspora africana ao longo dos últimos cinco séculos (MONTEIRO, 2011).  

Neste caso, a oficina será focalizada no Balé Afro, o qual é uma mistura de elementos dos estilos mais variados entrecruzados com movimentos sobressaídos em grande parte das manifestações das danças afro-brasileiras. Flexão de tronco e joelhos, movimentos da região pélvica e saltos são presentes nessa prática que contribui com a condição física do bailarino, uma vez que força, agilidade, coordenação, ritmo, dentre outras qualidades físicas são trabalhadas. Além disso, o Balé Afro transmite alegria, energia, fortalece a autoestima e auxilia na quebra de paradigmas eurocêntricos no mundo da dança, pois a sua prática é uma grande colaboradora na luta antirracista. (MONTEIRO, Marianna. F. M. . Dança Afro: Uma Dança Moderna Brasileira. In: NORA, Sigrid e SPANGHERO, Maíra. (Org.). Húmus 4. Caxias do Sul: Lorigraf, 2011?)

17h até 22h- Encerramento com a festa Calor da Rua.

Entre as trocas de oficinas, tanto do turno da manhã quanto da tarde, haverá 10 minutos de intervalo. Após a última oficina do dia, teremos uma confraternização com a festa Calor da Rua.

SOBRE O ORGANIZADOR

Nó: companhia de dança

A companhia nasceu em 2019 em Santa Maria, RS, e surge do desejo do encontro. É união de pontas soltas, entrelace alquímico de movimento. Um emaranhado de artistas singulares, corpos diversos em suas experiências que se encontram e reconhecem-se como grupo.

 FALE COM O ORGANIZADOR

Voltar