23/10/2020 - Janet Collins e a negritude no Balé


Nascida em 2 de março de 1917, uma das seis crianças de um alfaiate e uma costureira, em New Orleans, Louisiana, região herdeira de uma das mais cruéis facetas do sistema escravocrata estadunidense.

Aos quatro anos, Collins se mudou com a família para Los Angeles, aos dez anos começou a estudar dança. Alguns relatos alegam que ela não conseguiu se matricular em aulas regulares - reservadas para dançarinos brancos -, então foi forçada a estudar com um professor particular. Outros sugerem que ela se matriculou no Centro Comunitário Católico, onde sua mãe concordou em costurar para o centro em troca de aulas de sua filha. Nessa época, poucos professores brancos aceitavam alunas negras, assim, foi uma das poucas bailarinas negras de formação clássica de sua geração.

Collins também era uma talentosa artista plástica e sua família incentivou-a a renunciar à dança pela pintura, o que na época oferecia mais oportunidades aos negros. Estudou arte em Los Angeles City College e na Los Angeles Art Center School. Embora estudante de arte com uma bolsa de estudos, continuou a estudar dança.Estudou música hebraica com o compositor Ernest Bloch, dança moderna sob Lester Horton, dança espanhola com Angel Casino, coreografia com DorisHumphrey e HanyaHolm e tantas outras figuras importantes, comoAdolphBolm, CarmelitaMaracci e Mia Slavenska.

Ainda muito jovem, aos 15 anos,foi aprovada na audição do prestigiado Ballet Russe de Monte Carlo quando a companhia se apresentou em Los Angeles durante sua turnê americana. Na companhia de LeonideMassine, da União Soviética de 1932 jáestalinizada, não ingressou porque recusou-se a pintar o rosto e toda pele de branco para dançar (exigência muito comum no ceio das artes cênicas). "Eu pensei que o talento importava, não a cor", disse certa vez à U.S. News & World Report. E que quando ela chegou em casa chorando, sua tia Adele disse-lhe para continuar praticando: "Não tente ser bom, tente ser excelente."

Mudou-se para Nova York em 1948, em 1951 tornou-se a primeira bailarina afro-americana a ser contratada em tempo integral pelo Metropolitan Opera em Nova York, assim que ZacharySolov, o novo mestre de balé do Metropolitan Opera, a viu dançar. Mais tarde participou de filmes e de inúmeros programas de TV, recebendo bolsas de estudo e outros diversos prêmios, incluindo o reconhecimento da comunidade negra.

Quando saía de  Nova York, onde tinha certo reconhecimento, não tinha a mesma recepção que os demais bailarinos, era impedida de entrar em espaços públicos, por exemplo.

A presença de Janet no Ballet, dança originada das cortes europeias e codificada a partir de corpos brancos, questionou padrões seculares e provou que mulheres negras podem e devem ocupar importantes papéis no universo da dança.

Janet Collins insurgiu-se incansavelmente contra o racismo tornando-se a primeira bailarina do Metropolitan Opera entre 1951-1954. Um movimento que não começa em si, senão em toda tradição de luta e revolta de tantos antepassados negros contra ordem,nem se encerra em si, pois pavimenta o caminho para inúmerosartistas negros, a começar por Katherine Dunham, Carmen De Lavallade,Raven Wilkinson, JenelleFiggins, MistyCopeland, Olivia Boisson, Precious Adams,etc, bailarinas do passado e do presente.

Foi no ano em que collins se aposentou que Arthur Mitchell, fundador do Dance TheatreofHarlem, ingressou no New York City Ballet. Os primeiros artistas negros no balé estavam ganhando espaço.

Voltar