06/11/2020 - Dicas para lidar com a falta de oportunidades na dança


Em meio a pandemia , o futuro pode parecer assustador. Embora seja sempre difícil entrar na indústria da dança, este ano o desemprego atingiu níveis recordes e as chances de se apresentar quase desapareceram completamente. Mas, embora pareça que as oportunidades são poucas, existem etapas proativas que os bailarinos podem seguir para lançar suas carreiras.

Separamos algumas dicas para vocês: 

       1) Construa sua rede pessoal

Na maioria das vezes, encontrar trabalho é sobre as pessoas que você conhece e as conexões que você fez. Promover esses relacionamentos pode abrir você para novas possibilidades.

Lillian Rose Barbeito, co-diretora artística da BODYTRAFFIC e membro do corpo docente da Loyola Marymount University, recomenda: "Veja quem foram suas maiores influências e estenda a mão para eles."

Barbeito incentiva os dançarinos a reconhecer e agradecer seus contatos e a manter um relacionamento contínuo com eles antes de pedir oportunidades de emprego. "Fique interessado no que eles estão fazendo em seu mundo", diz ela. "Então, talvez o terceiro ou quarto contato seja para saber se você está disponível para atuação, ensino, coreografia."

       2) Pense fora da sua especialidade

Gates diz aos dançarinos a considerarem cada curso que fizeram, mesmo aqueles fora de sua especialidade. "Perceba que você está incrivelmente equipado para outras oportunidades", diz ela. Considere ajudar um fisioterapeuta, editar filmes ou dar aulas em um estúdio local por meio de streaming de vídeo.

As habilidades que você cultivou como dançarino têm valor além do palco. "Os dançarinos resolvem problemas criativos", diz Garfield Lemonius, cadeira de dança na Point Park University. "Vemos maneiras diferentes de resolver problemas em movimento. Todas essas idéias podem ser aplicadas a muitas coisas em todo o mercado de trabalho."

       3) Continue criando

Enquanto você espera pelo primeiro emprego, continue criando. Lemonius recomenda sair de sua casa ou apartamento - com segurança - e improvisar em algum lugar ao ar livre. Kira Blazek Ziaii, professora assistente de dança contemporânea na Escola de Artes da Universidade da Carolina do Norte, acrescenta que, mesmo com um foco maior em tecnologia, é importante se desconectar e ficar em contato com seu corpo. Reserve um tempo para refletir sobre por que você dança.

       4) Respire

É tentador começar a procurar emprego imediatamente. “Atualmente não há audições acontecendo. Ninguém está perdendo uma oportunidade extraordinária”, disse Jodie Gates da USC. "Não há problema em fazer uma pausa até que saibamos como ficará a paisagem após esta pandemia.". 

             5) Desenvolva suas habilidades técnicas

Com a maioria das apresentações presenciais em espera, a maioria das oportunidades criativas mudou para online, por isso vale a pena aprimorar suas habilidades de dança diante das câmeras. Hoje em dia, é até possível conseguir um show pago que seja totalmente virtual. Kira Blazek Ziaii, que ajudou formandos da UNCSA a adaptar seus solos sênior para filmes, oferece estas dicas:

  1. Para iniciantes, Blazek Ziaii recomenda simplicidade. “Existem várias maneiras de baixa tecnologia de fazer seu próprio vídeo funcionar e ter uma assinatura única”, diz ela. Um smartphone e um aplicativo de edição de vídeo simples são ótimos lugares para começar.

  2. Conforme você desenvolve suas habilidades, os tutoriais on-line podem ajudá-lo a aprender tudo, desde estilos de corte a ângulos de câmera.

  3. Assista a filmes de dança para se informar sobre a história da forma e ver como técnicas simples foram usadas para criar experiências viscerais. Brazek indica: Anne Teresa de Keersmaeker's Rosas danst Rosas, Anne Van den Broek's The Co(te)lette Film or the work of DV8 Physical Theatre.

Fonte: dancemagazine.com

Voltar