11/02/2021 - WDC Festival de Danças Urbanas ganha versão compacta


Enquanto a quinta edição do WDC Festival de Danças Urbanas não acontece devido à pandemia do novo coronavírus, a Cia Livre de Dança, da Rocinha, promove uma versão compacta do evento nos dias 20 e 21 de fevereiro na quadra da comunidade, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Durante dois dias, das 10h às 20h30, o Esquenta WDC apresenta uma série de workshops de dança para o público com renomados coreógrafos que trabalham com estrelas da música pop e do funk como Anitta, Ludmilla e Lexa, além de uma vibrante batalha de hip hop e de estilo livre em que dançarinos disputam quem é o melhor das danças urbanas e concorrem a uma premiação em dinheiro. O passaporte para os dois dias de evento custa R$ 80 e, aliás, devido a medidas de prevenção ao novo coronavírus, a lotação do local está limitada a 60 participantes por vez (a capacidade de público é de 300 pessoas).

“Até o ano passado, o WDC Festival de Danças Urbanas era realizado durante uma semana inteira no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, na Tijuca, com workshops, palestras, showcase, batalhas, rodas de conversa e aulas intensivas. Por conta da pandemia e para atender à demanda do público, a solução foi fazer uma versão compacta, concentrada na Rocinha, comunidade onde o festival foi idealizado”, conta a coreógrafa e dançarina Ana Lúcia Silva, diretora do WDC e nome à frente da Cia Livre de Dança.

“O festival tem como objetivo difundir a cultura urbana por meio da troca e conhecimento para inspirar cada vez mais os jovens talentos da dança”, completa Ana Lúcia, sem deixar de enfatizar o compromisso social do WDC e da Cia. Livre de Dança têm em incentivar e fomentar a profissionalização de dançarinos, além de investirem em ações sociais na comunidade da Rocinha, com aulas regulares durante todo o ano, workshops, eventos e colônia de férias.

Os workshops do Esquenta WDC têm a intenção de contribuir na capacitação e no aperfeiçoamento dos dançarinos, levando em conta a relação étnica, cultural e artística do profissional, estimulando também a troca de experiência, conhecimento, técnica e o lúdico. Os profissionais que vão lecionar os workshops são talentos experientes que fazem parte da construção e do crescimento das danças urbanas no Rio de Janeiro.

Entre os coreógrafos confirmados estão Arielle Macedo (heeld dance | jazz funk), bailarina da cantora Anitta há oito anos, coreógrafa de hits como “Show das poderosas”, “Deixa ele sofrer”, “Bang”, “Paradinha” e “Vai, malandra”; Edson Damazzo (jazz funk), coreógrafo da cantora Ludmilla e Lexa; Makayla Sabino (vogue), dançarina do ballet das cantoras Anitta e Mc Rebecca, que trabalhou também com nomes como Valesca Popozuada, Kevin o Chris, Beni Falcone e Cidinho & Doca; André Oliveira (passinho), referência no mundo do funk e do passinho, bicampeão da batalha do Festival Rio H2K; Laissy Tavares (hip hop), que atuou como bailarina de estrelas como Kevin o Chris e Maite Perroni (ex-RBD); Bruno Duarte (krump), primeiro krumper brasileiro a chegar numa final internacional em um campeonato do estilo; Thiago Nunes (dança contemporânea), mais conhecido como Lagartixa por sua performance, professor do projeto de extensão ComuniDança, da UFRJ, onde se estuda; Tago Oli (jazz funk), coreógrafo da funkeira Lellezinha, que tem em seu currículo trabalhos com MV Bill, Lorena Simpson e participação na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016; e a dupla Salasar Junior e Gian Saru (Tutting), dupla que bem despontando no estilo.

??As batalhas de danças urbanas do WDC são sempre experiências fervorosas, com embates contagiantes e movimentos inacreditáveis. Ao som do DJ JP Black e com a chamada do Gian Saru, que apresenta os duelos como MC, a banca de júri — formada por Leozinho Laureano, Makayla Sabino e Salasar Junior — tem a responsabilidade de escolher o melhor dançarino de free style e de hip hop. O primeiro colocado de cada categoria leva um prêmio de R$ 500 e o título de melhor dançarino do Esquenta WDC.

Voltar