19/03/2021 - Como gerenciar o perfeccionismo


Separamos algumas dicas para te ajudar nessa jornada: 

Enfrente expectativas irrealistas

O mundo da dança pega traços de exigências e críticas e os reforça a um nível muito prejudicial à saúde. Os bailarinos são frequentemente pressionados a se conformar a padrões corporais irreais, a deixar para trás todos os outros interesses e ensinados a ansiar por correção e crítica.

Abandonar isso é uma questão de aprender a diferença entre perfeição e excelência. “Se tentarmos ser perfeitos, sempre falhamos. Mas se mudarmos nossa mentalidade para a busca pela excelência, podemos progredir em direção ao nosso objetivo. Ninguém pode ser perfeito. Mas podemos nos sobressair”, diz Kaslow.

Sintonize seu corpo para deixar a negatividade de lado

Na aula ou ensaio, se você tende a se distrair com as ansiedades do quadro geral, tente restringir sua atenção a um objetivo ou aspecto específico de sua técnica.

Uma boa dica é: crie uma meta mais gerenciável para cada aula, isso te ajudará a se sentir mais realizado e a afastar a negatividade. Por exemplo, faça uma seleção de tópicos para se concentrar em um dia de treino. 

Peça ajuda

Uma importante iniciativa é normalizar as discussões sobre saúde mental na comunidade da dança e conectar bailarinos com recursos de saúde mental.

Uma sugestão é: cultive outro interesse que não seja a dança. “Se dançar é a sua única coisa, você não tem escolha a não ser ficar obcecado diz Kaslow, às vezes, é preciso apertar o botão de pausa.

Gostou?

Esperamos que te ajude!

Até a próxima sexta, nos acompanhe por aqui.

Voltar