× O ClickOnDance vai mudar! Em breve novidades sobre a nova experiência de aulas online que estamos preparando para você. Nosso portal segue com atualizações diárias e uma curadoria especial com dicas do mundo da dança. Acompanhe também nosso instagram: www.instagram.com/clickondance

12/05/2022 - Balé da Cidade apresenta Muyrakytã e Fôlego - Aniversário de 40 Anos do CCSP


Entre os dias 12 e 15 de maio, o Balé da Cidade de São Paulo celebra os 40 anos do Centro Cultural São Paulo, com duas apresentações: o espetáculo Muyrakytãapresentado pela primeira vez em fevereiro deste ano no Theatro Municipal e com a coreografia inédita Fôlego. O Balé da Cidade inaugurou a sala Adoniran Barbosa há 40 anos e agora retorna para comemorar essa data tão histórica.

“Temos a honra e alegria de fazer parte das celebrações dos 40 anos do Centro Cultural São Paulo. Nesses 40 anos o CCSP marcou a história da cidade e se constituiu como referência para múltiplas linguagens artísticas e culturais. Seus palcos, biblioteca, espaços de convivência, horta, enfim, cada canto do espaço nos traz lembranças de encontros e descobertas de novos artistas e modos de convivência, pois uma das suas grandes vocações sempre foi a inovação e o fomento à criação. Este ano comemoramos o Centenário da Semana de Arte Moderna e contamos com peças do seu rico acervo em uma exposição temporária no Salão Nobre do Theatro. Ao mesmo tempo, preparamos uma coreografia nova para essa festa de aniversário. Isso é possível, graças ao espírito de colaboração e trocas entre as instituições do município, ao qual brindamos com alegria”, comemora Andrea Caruso Saturnino, diretora geral do Theatro Municipal de São Paulo.

“Há exatos 40 anos o Balé da Cidade estreava a emblemática Bolero, de Emilie Chamie e Lia Robatto, criada especialmente para os espaços do CCSP, que se inaugurava com a promessa de ser um lugar ativo e especial para a cultura paulistana. Hoje, retornamos à arena da sala Adoniran Barbosa e, para festejar junto à cidade a concretização da promessa, repetimos a história, com a estréia de Fôlego, de Rafaela Sahyoun, cuidadosamente pensada para o espaço e para a data tão especial, acompanhada de Muyrakytã, recente e provocativa obra de Allan Falieri para o Balé da Cidade, agora remodelada para esse espaço e ocasião. É uma felicidade voltar ao CCSP nesta comemoração, fortalecendo os laços entre as instituições e levando a nossa dança para mais lugares onde ela precisa e quer ser vista. Um feliz aniversário com muita dança!”, comemora Cassi Abranches, diretora do Balé da Cidade.

Com a concepção de Rafaela Sahyoun, a coreografia Fôlego perpassa paisagens simbólicas e sensoriais. Acontecimentos interpessoais que aproximam e distanciam, reverberam e se transformam através da eletricidade dos corpos emergentes das atualizações presentes no espaço. Numa dramaturgia de força propulsora, Fôlego evoca o erotismo de se estar vivo. Fôlego é pulso. Um sopro no vento”, afirma Rafaela.

Rafaela atua como bailarina, coreógrafa e educadora, além de possuir projetos pedagógicos e artísticos, cultivando uma prática de pesquisa contínua e compartilhada com diversas instituições e companhias de dança nacionais e internacionais. A apresentação ainda conta com Inês Galrão, assistência coreográfica; Joaquim Tomé, na produção musical; Karina Mondini, no figurino; Aline Santini, no desenho de luz; entre outros artistas. A duração da apresentação é de 30 minutos e a classificação é livre.

Já Muyrakytã, que tem concepção de Allan Falieri, teve sua estreia em fevereiro deste ano no Theatro Municipal. Na ocasião, o Balé da Cidade convidou o público a romper os paradigmas estabelecidos atualmente, refletindo e indagando os acontecimentos de um século atrás, atravessando entre passado e presente. 

Allan atua há mais de duas décadas como bailarino profissional e integrou as companhias: Compañia Nacional de Danza, Nederlands Dans Theater, Ballet Gulbenkian, Bejart Ballet Lausanne, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, além do Balé da Cidade de São Paulo. O elenco ainda é formado por Antônio Carvalho Jr., Bruno Gregório/Marcel Anselmé, Bruno Rodrigues, Cléber Fantinatti, Isabela Maylart, Jessica Fadul, Luiz Crepaldi, Luiz Oliveira, Marcio Filho, Marina Giunti, Rebeca Ferreira, Renata Bardazzi e Yasser Díaz. A apresentação tem duração de 30 minutos e a classificação é livre.

Com 54 anos de história, o Balé da Cidade de São Paulo possui em seu repertório, obras dos mais conceituados coreógrafos e criadores nacionais e internacionais da atualidade. A longevidade do Balé da Cidade, o rigor e padrão técnico de seu elenco e equipe artística, atraem os mais importantes coreógrafos brasileiros e internacionais interessados em criar obras para seus bailarinos e artistas e o conjunto de suas conquistas demonstra a importância da sua atuação na cultura da cidade de São Paulo, capaz de produzir arte de qualidade indiscutível para a população da cidade.

Foto: Stig de Lavor.

SERVIÇO
Data: 
12 a 15 de maio de 2022
Horário: 5ª feira a Sábado às 20hs / Domingo às 19hs
Local: Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa
Rua Vergueiro, 100. Paraíso, São Paulo/SP 
Classificação: Livre

Programação

Muyrakytã de Allan Falieri – 30 min.
Intervalo – 15 min.
Fôlego de Rafaela Sahyoun – 30 min.

Muyrakytã

Concepção e Coreografia: Allan Falieri
Música Original: Beto Villares e Mbé
Direção Musical: Beto Villares e Allan Falieri
Participação Especial: Dona Onete
Poesia: Ryane Leão
Colaboradores: Paulinho Bicolor e Érico Theobaldo
Dramaturgia: Fabiana Nunes
Figurino: Alexandre dos Anjos 
Desenho de Luz: André Boll 
Preparação de elenco: Preta Kiran, Irupé Sarmiento
Ensaiadoras: Carolina Franco, Roberta Botta

Elenco 
Antônio Carvalho Jr., Bruno Gregório/Marcel Anselmé, Bruno Rodrigues, Cléber Fantinatti, Isabela Maylart, Jessica Fadul, Luiz Crepaldi, Luiz Oliveira, Marcio Filho, Marina Giunti, Rebeca Ferreira, Renata Bardazzi, Yasser Díaz

Fôlego
Concepção e Coreografia: Rafaela Sahyoun
Assistência Coreográfica e Colaboração: Inês Galrão 
Música: The Field
Produção Musical: Joaquim Tomé
Figurino: Karina Mondini – Tela Studio SP 
Desenho de Luz: Aline Santini

Ensaiadoras: Carolina Franco e Roberta Botta
Número de Intérpretes: 9
Duração: Aprox. 30 minutos

Intérpretes Criadores

Ana Beatriz Nunes, Ariany Dâmaso, Fabiana Ikehara, Grécia Catarina, Jessica Fadul, Leonardo Silveira, Márcio Filho, Victoria Oggiam, Victor Hugo Vila Nova

SOBRE O COMPLEXO THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO

O Theatro Municipal de São Paulo é um equipamento da Prefeitura da Cidade de São Paulo ligado à Secretaria Municipal de Cultura e à Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

O edifício do Theatro Municipal de São Paulo, assinado pelo escritório Ramos de Azevedo em colaboração com os italianos Claudio Rossi e Domiziano Rossi, foi inaugurado em 12 de setembro de 1911. Trata-se de um edifício histórico, patrimônio tombado, intrinsecamente ligado ao aperfeiçoamento da música, da dança e da ópera no Brasil. O Theatro Municipal de São Paulo abrange um importante patrimônio arquitetônico, corpos artísticos permanentes e é vocacionado à ópera, à música sinfônica orquestral e coral, à dança contemporânea e aberto a múltiplas linguagens conectadas com o mundo atual (teatro, cinema, literatura, música contemporânea, moda, música popular, outras linguagens do corpo, dentre outras). Oferece diversidade de programação e busca atrair um público variado.

Além do edifício do Theatro, o Complexo Theatro Municipal também conta com o edifício da Praça das Artes, concebido para ser sede dos Corpos Artísticos e da Escola de Dança e da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Sua concepção teve como premissa desenhar uma área que abraçasse o antigo prédio tombado do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo e que constituísse um edifício moderno e uma praça aberta ao público que circula na área.

Inaugurado em dezembro de 2012 em uma área de 29 mil m², o projeto vencedor dos prêmios APCA e ICON AWARDS é resultado da parceria do arquiteto Marcos Cartum (Núcleo de Projetos de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura) com o escritório paulistano Brasil Arquitetura, de Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz.

SOBRE A SUSTENIDOS

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização responsável pela gestão do Projeto Guri (nos polos de ensino do interior, litoral e Fundação CASA), do Conservatório Dramático-Musical dr. Carlos de Campos – Tatuí e do Complexo Theatro Municipal. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm suporte fiscal da Lei Federal de Incentivo à Cultura e do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir neste link.

Patrocinadores e apoiadores do Theatro Municipal de São Paulo – Sustenidos: Bradesco.

Patrocinadores Institucionais da Sustenidos: Microsoft e VISA.

Voltar