× O ClickOnDance vai mudar! Em breve novidades sobre a nova experiência de aulas online que estamos preparando para você. Nosso portal segue com atualizações diárias e uma curadoria especial com dicas do mundo da dança. Acompanhe também nosso instagram: www.instagram.com/clickondance

26/08/2022 - Aprender a falar no palco não precisa ser assustador


Tem sido cada vez mais comum que os coreógrafos peçam aos bailarinos para falarem no palco, com o teatro musical ganhando os palcos mundo afora, essa habilidade se torna cada vez mais cobiçada.

À medida que o mundo da dança evolui para permitir uma compreensão mais holística do corpo, é fundamental que os bailarinos desenvolvam a confiança e as ferramentas para ver sua voz como parte de seu instrumento artístico.

Confira nossas dicas:

Comece com a respiração

A respiração é fundamental para o trabalho de voz. De acordo com Kay Cummings, que ensinou atuação e coreografia na Tisch School of the Arts da NYU por décadas, o uso da respiração pode ser pensado como um continuum que varia da garganta a respirações diafragmáticas mais completas no tronco médio e inferior. Falar e cantar exigem um uso diferente do diafragma do que dançar 

por isso, os bailarinos podem estar acostumados a respirar superficialmente. Falar e dançar ao mesmo tempo então, pode exigir alguns ajustes. 

DeMent diz que depois de participar de um workshop de respiração, ela passou horas deitada sozinha no chão de seu apartamento, cantarolando para aprender a sentir as vibrações mais baixas em seu abdômen. “Percebi que minha técnica de balé estava em conflito”.

Deixe de lado a autoconsciência

Quando solicitados pela primeira vez a falar ou cantar, muitos bailarinos se sentem desesperados.. O coreógrafo David Dorfman, que frequentemente usa a voz no repertório de sua companhia, pede aos alunos que lembrem que não é um conceito tão estranho quanto parece. “Quantas vezes as pessoas vão passear com um amigo e contam histórias?” ele diz. Professor do Connecticut College, Dorfman gosta de abrir as aulas com movimentos simples de pedestres, andando pelo estúdio para soltar o corpo enquanto cumprimenta verbalmente os alunos ao longo do caminho. “Acho que não há nada mais vulnerável para um bailarino do que usar sua voz”, Por isso, é importante ver o humor no processo e ir além de sua timidez. 

Encontre significado no que você está dizendo

Se você tiver a tarefa de trabalhar a partir de um roteiro, leia o texto atentamente para encontrar áreas com as quais possa se conectar emocionalmente. Essa tática também pode ajudar na hora de escolher um monólogo ou música para se apresentar em audições de teatro. “Se você tiver que cantar oito compassos, escolha compassos onde a letra signifique algo para você, de modo que seja mais do que uma sílaba para pendurar uma nota”, diz Cummings.

Pratique a integração de corpo inteiro

Olhando para trás, DeMent gostaria de ter incorporado o trabalho de voz em seu treinamento de dança desde muito cedo. “Um aquecimento vocal é tão importante quanto um aquecimento físico”, diz ela. “Você precisa girar os tornozelos e aquecer os pés, e precisa aquecer o canal de energia de onde vem sua voz, mesmo que não precise usá-lo em sua performance.”

A confiança na voz pode beneficiar enormemente os bailarinos, sejam eles convidados a falar no palco ou não. “Bailarinos são, muitas vezes, treinados para não falar, mas quanto mais você se expõe, mais vulnerável você fica, e vulnerabilidade não é fraqueza; é força.”

 

Voltar