08/02/2019 - ‘Distribuídos em Rede’, da Caio Nunes Cia. de Dança/RJ


Com expressões de humor, a obra traz referências à publicação e intercâmbio constante de imagens divulgadas em redes sociais. “O trabalho aborda a profusão de informações que temos sobre o outro, e questiona se conseguimos ter esta mesma visão ao contrário. O outro somos nós mesmos”, explica o diretor da companhia, Caio Nunes. Com dramaturgia e criação de movimento de Carlos Laerte, a peça também questiona o vício do voyeurismo, presente em alguns momentos do cotidiano, que, nas redes, coloca o outro em segundo plano.

O espetáculo busca mostrar o deslocamento das pessoas pelo universo digital virtual, segundo o diretor, um “lixão tecnológico”, mas que nos permite “observar, ser observados, cavar, tocar e experimentar o tempo todo, sem limites” e olhar os nossos próprios questionamentos, individuais ou coletivos, nesta “terra de ninguém”.

O palco é produzido como uma grande instalação, com vários objetos por ele espalhados, criando um ambiente para cada intérprete e sendo transformado ao longo do espetáculo. O objetivo é levar o público a sensações não habituais na cena, como, por exemplo, a de um grande vício em uma rede social. Fotos, figuras e vídeos figuram na peça como “prisões sociais”, que levam as pessoas a “sensações incontroláveis” e à artificialidade. “O que é artificial, se estamos todos neste vicio virtual?”, questiona o grupo.

Na pesquisa para o projeto, Laerte e o coletivo observaram sempre a experiência do desejo humano pelo outro, mas num lugar seguro como uma cadeira ou um sofá. “Nas redes, as pessoas fazem o que querem e de fato se expõem, sem nenhuma crítica. Temos neste universo uma falsa sensação de liberdade. Nos colocamos em um patamar de vaidade tão presente que hoje é impossível voltar atrás”, diz Caio, observando que as pessoas dependem dos “likes” para estar cada vez mais presentes nesse novo universo virtual. “Vivemos esta corrida e conexão por algo que ainda não sabemos o que é, como uma lacuna diária, cada vez mais viciosa”, conclui.

Foto: Sou Mais Dança/divulgação

Distribuídos em rede 
Caio Nunes Cia. de Dança

SERVIÇO
Data:
de 07 a 10 de fevereiro de 2019
Horário: qui a sáb, às 20h | dom, às 19h
Local: Teatro Cacilda Becker
Rua do Catete, 338 Largo do Machado | Rio de Janeiro-RJ
Ingresso: R$ 30,00 (inteira)
Informações: (21) 2265-9933

Oficinas de dança

Datas: 
08/02, às 16h
Aula de Composição Coreográfica, com Fernando Bersot
09/02, às 16h
Aula de Dança Contemporânea, com Nayanne Cavalcante e Dandara Patroclo
Local: Teatro Cacilda Becker
Rua do Catete, 338 Largo do Machado | Rio de Janeiro-RJ
Investimento: gratuito (sujeito a lotação)
* a inscrição deve ser realizada no local, 40 minutos antes do início de cada atividade.
Nível em dança dos alunos: Intermediário/avançado
Idade: a partir de 14 anos
Mais informações: danca@funarte.gov.br

Voltar