07/05/2019 -  A Cia. Ale Kalaf apresenta seu espetáculo “Afeto, Capítulo 1, Lorca”  dia 18, no Centro de Pesquisa e Formação - SESC SP, Virada Cultural


No Centro de Pesquisa e Formação do SESC São Paulo, dia 18 de maio, durante a Virada Cultural, a Cia. Ale Kalaf apresenta o espetáculo “Afeto, Capítulo 1, Lorca”, coreografia que entrelaça o flamenco à obra do poeta espanhol Federico García Lorca, autor que foi um grande entusiasta desse estilo de dança. “Lorca buscava em suas obras encontrar a si mesmo, e a arte flamenca o ajudava a conseguir; sua relação com o flamenco era total”, conta a diretora Ale, citando obras como “Romancero Gitano” e “Poema del Cante Jondo”. “O universo andaluz está em seus textos, ele admirava este mundo escuro, tenebroso e trágico e o recriava em sua escrita. Tinha um conhecimento poético dessa arte, suas poesias eram flamencas.”

Segundo a diretora, o ponto de contato entre o flamenco e o trabalho de Lorca é a intensidade. “Sua obra, sobretudo seus poemas, assim como a dança flamenca, não se explicam, se sentem - e em sentir está toda a experiência”, conclui.

 Sobre o espetáculo AFETO – CAPÍTULO 1, LORCA

O corpo flamenco é barroco, sombrio, mutável, paradoxal, sensível ao jogo entre contenção e excesso, assertividade e mistério, luz e sombra. Corpo pelo qual circulam paixões e afetos, sintetizando contradições próprias da condição humana.

O flamenco reverbera e dá corpo às emoções. Não como um mosaico de estados afetivos, prazeres e dores, fechados em si mesmos, mas como meio de ressignificar experiências vividas e com isso transformá-las.

O espetáculo convida para esta relação do flamenco com o mundo dos afetos, uma experiência consigo e com o outro, este “outro” por meio do qual me (re)conheço, a quem me dirijo para interrogar sobre minha própria existência.

Flamenco e Literatura

 A poesia não quer adeptos, quer amantes.

(Federico García Lorca)

 A obra de Lorca está intimamente ligada ao ambiente andaluz, sua cultura, sua música e sua arquitetura, mas sem dúvida é a paixão o ponto de encontro entre o escritor e o Flamenco. O intenso pulsar da vida foi o nutriente maior para a produção do poeta, e o Flamenco é pura reação a esse pulsar, aos estados da alma, dando voz e corpo aos afetos.

Neste espetáculo, a poesia selvagem e magnética transita dos versos para os gestos das bailarinas, o rasgueado da guitarra, a intensidade da percussão e a profundidade do cante flamenco. O sublime de seus textos literários transbordam no tablado nos fazendo reviver os intensos impasses da vida.

Todas as palavras deste espetáculo são do poeta, e as músicas feitas com suas poesias. Mas o fio condutor que nos leva mergulhar no seu incrível mundo particular são cartas enviadas a um de seus últimos amores, Eduardo Rodríguez Valdivieso.

Seis cartas guardadas por 60 anos. Uma correspondência que acontece entre outono de 1932 e abril de 1933. Numa época onde a homossexualidade era crime, essas palavras de amor poderiam se converter em um grande perigo. Eles se conhecem em fevereiro 1932, em um baile a fantasia no Hotel Alhambra Palace. E somente em 1993 Eduardo revela a existência dessas correspondências, enfim publicadas em 2013.

Em julho de 1936, na última entrevista que concedeu, publicada pelo jornal El Sol, Lorca diz que na cidade vivia "a pior burguesia de toda a Espanha". Essa declaração causa a ira dos fascistas locais, uma vez que Lorca já era então odiado por seu entusiasmo pela república e por ser homossexual.

Federico García Lorca foi fuzilado por fascistas no dia 19 de agosto de 1936, numa estrada nas proximidades de Viznar.

Eduardo Rodríguez Valdivieso morre aos 83 anos, em 1997, tendo ocultado por décadas sua relação com o poeta, que lhe escreveu suas cartas de amor mais íntimas.

Foto: divulgação

SERVIÇO
"AFETO - Capítulo 1, Lorca"

Com Cia Flamenca Ale Kalaf.
Data: 
18 de maio de 2019
Horário: sábado das 13h às 14h.
Local: Centro de Pesquisa e Formação - SESC SP
Rua Dr.Plínio Barreto, 285 4º andar - Bela Vista
TEL.:+55 11 3254-5626
*Retirada de ingressos uma hora antes da atividade, na Central de Atendimento.

Sobre a CIA FLAMENCA ALE KALAF

Ale Kalaf é bailarina com formação em flamenco, ballet clássico e dança contemporânea no Brasil e na Espanha, tendo estudado e colaborado com grandes nomes da dança flamenca da atualidade.

O diálogo com outros artistas e outras musicalidades sempre permeou o trabalho da coreógrafa e, consequentemente, da Cia Flamenca Ale Kalaf. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, concebeu e dirigiu trabalhos difundindo a dança flamenca, aproximando e formando um novo público para a linguagem, em São Paulo e por outros estados do país.

Em 2001, fundou o Grupo Luceros Arte Flamenco e desde 2006 vem desenvolvendo com esse grupo uma intensa pesquisa de movimentação flamenca e musicalidade brasileira com o premiado compositor e músico Toninho Ferragutti.  Em 2014, estreou o espetáculo Luceros dança Toninho Ferragutti, dirigido por Clarisse Abujamra e que posteriormente foi apresentado em muitas cidades do estado de São Paulo, com o apoio dos editais O Boticário na Dança e ProAc, e pelo Circuito SESC de Artes 2018.

Em setembro de 2015, concebeu, coreografou e dançou o espetáculo CON ALMA em parceria com a cantora espanhola Irene Atienza, direção de Clarisse Abujamra e participação de um elenco formado por importantes músicos da cena nacional. Um trabalho mais intimista e que também mistura de forma delicada e poética este corpo flamenco com a música brasileira interpretada pela cantora espanhola.

Em 2016, com a Cia Flamenca Ale Kalaf, estreou Puro en la Mezcla, recriando em cena um tablado flamenco, mergulhando na estética e na linguagem do flamenco tradicional, mas completamente inspirado no encontro com os estudos de Juan Vergillos, historiador espanhol especializado na História do Flamenco que defende arduamente que a capacidade do artista de se conectar com o flamenco independe de sua origem. Nesse espetáculo, Ale propõe que o flamenco é o corpo reagindo ao som, dando voz aos afetos, assuntos que emocionam e lugares poéticos onde qualquer ser humano se sente representado.

Ficha Técnica

Direção e coreografia: Ale Kalaf 
Bailarinas:
Carolina Corrêa 
Fernanda Viana
Gisele Lemos 
Katia Merlino 
Renata Sucupira
Ximena Espejo 
Juliana Almeida 
Camila Leite 
Direção musical e guitarra flamenca: Jony Gonçalves
Cante flamenco: Marcyo Alves Bonefon
Percussão: Lucas Ruedas da Costa 
Iluminação e cenário: Marcos Diglio, Palhassada Ateliê
Técnico de som: Kiko Carbone | Estúdio Loop
Produção : Ale Kalaf ,Cau Fonseca | Mítica!

 

Voltar