13/06/2019 - "MENSAGENS DE MOÇAMBIQUE" - Taanteatro Companhia com Jorge Ndlozy - SP


O processo criativo do espetáculo-solo protagonizado pelo dançarino moçambicano Jorge Ndlozy baseia-se na [des]construcão de performance a partir da mitologia [trans]pessoal, abordagem dramatúrgica da dinâmica taanteatro. Explora as tensões fecundas entre conteúdos biográfico-imaginários do performer e pontos-chaves da história sóciocultural e política de seu país de origem. À maneira de um rito de passagem, a dramaturgia coreográfica associa dinâmicas de subjetivação a períodos históricos significativos de Moçambique: pré-colonial (migrações bantu), colonial (chegada, ocupação e domínio português) e pós-colonial (revolução, guerra civil e redemocratização).

A linguagem coreográfica alimenta-se da imersão em rituais ancestrais, releituras de danças tradicionais moçambicanas e estudos de textos poéticos e históricos. A trilha sonora é composta por música original, gravações de sons ambientais e fragmentos de discursos políticos de Samora Machel, líder revolucionário e primeiro presidente de Moçambique.

O processo criativo de Mensagens de Moçambique iniciou-se na ARTT 2018 (Art Residence Taanteatro) em São Lourenço da Serra, SP, Brasil e foi concluído no contexto de [des]colonizações, projeto da Taanteatro Companhia contemplado pelo Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo - 25a edição.

Foto:  Adriano Carmona

SERVIÇO
"Mensagens de Moçambique"

Data:10 e 11 de julho de 2019
Horário: quarta e quinta ás 19h
Local: Teatro Sérgio Cardoso, Sala Paschoal Carlos Magno. 
Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista, São Paulo
Ingresso: R$ 20 / 10
Informações: contato@taanteatro.com.br /
Tel: 11 999095060
http://www.taanteatro.com/

Ficha Técnica

Dança: Jorge Ndlozy
Dramaturgia, texto, cenário, figurino: Wolfgang Pannek, Jorge Ndlozy
Direção coreográfica: Maura Baiocchi Música original: Gustavo Lemos Trilha sonora: Wolfgang Pannek Timbila e tambor ao vivo: Jorge Ndlozy Iluminação e Técnica: Mônica Cristina Bernardes
Foto: Adriano Carmona Schmidt, Graziella Zapata
Desenho gráfico: Hiro Okita
Produção: Wolfgang Pannek, Mônica Cristina Bernardes
Duração: 55 min.
Jorge Ndlozy é um dançarino de Maputo/Moçambique. Estudou dança tradicional e contemporânea e aprimorou sua formação com coreógrafos internacionais como George Kumalu, Thomas Auers, David e Máte Zamborano, Boy Zei Tsekuana, Daisy Renzy, Sofisso, Kudos, Francesco Camacho e Luis Filipe. Foi artista residente da Culturarte Moçambique, da escola PARTS (Bélgica) e do Mark Theater (África do Sul). Integrou as companhias Cultuarte, Tingoma to Tsamba, Nhacatandewa e a Companhia Municipal de Canto e Dança da Matola. Apresentou-se em festivais e projetos da África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, França, Líbia, Madagascar, Nigeria, Portugal, Swazilândia e Tunísia. Sob direção de Maura Baiocchi atuou em Xiphamanine – lugar do eterno originar da árvore mphma (2005) por ocasião do intercâmbio cultural Matola-Brasil. Em 2017, no Brasil, integrou como dançarino convidado o espetáculo 1001 Platôs, dirigido por Wolfgang Pannek. Desde então é integrante da Taanteatro Companhia.

Voltar