26/05/2021 - O QUE VOCÊ SEPAROU DE MIM? - Grupo Mnemoni. Espetáculo de dança online, sem patrocínio, aposta em formato digi-itinerante


“Mais do que um espetáculo de dança, uma experiência digital e itinerante”. É assim que os bailarinos e coreógrafos Dinis Zanotto e Tamires Coutinho, idealizadores do espetáculo ‘O que você Separou de Mim?’,  descrevem o projeto que estreia no dia 28 de maio em curta temporada virtual.

Sem patrocínio, com 9 bailarinos no elenco e com 6 sessões triplas (18h, 19h30 e 21h00, de sexta a domingo até 6 de junho), a encenação remota mistura texto, música e dança em um ato de resistência. “A continuidade na produção artística, ainda mais de forma independente, é sempre uma ação para marcar existências”, complementa Dinis sobre a iniciativa que atua como combate aos danos causados pelo isolamento social. “O espetáculo fala sobre as coisas que guardamos; as coisas que ficaram em nós com essa separação das pessoas que amamos”, pontua Tamires. Os ingressos custam R$20,00 e podem ser adquiridos através da Sympla.

Ao vivo, através de um formato inédito de exibição no mercado da dança, os bailarinos Tamires Coutinho , Iago Damazio, Júlia Moraes, Dinis Zanotto , Caroline Monlleo , Anna Franco, Davi Benaion, Thais Mothé e  Nathalia Amata, sob direção geral de Dinis e Tamires, convidam o espectador a transitar pelo whatsapp, youtube e instagram, numa imersão artística recheada de interação e inovação. “A partir do encontro com o público contamos sobre os encontros que deixamos de ter, que gostaríamos de ter e aqueles que um dia teremos. O jogo da transmissão e da condução digi-itinerante possibilita experiências singulares e customizadas de um mesmo espetáculo. Queremos propor uma experiência única para quem está nos assistindo”, comenta Dinis, co-fundador, ao lado de Tamires, da produtora MNEMONI.

“Dançamos para mostrar o que brilha, mas também o que impede de reluzir e abafa existências plurais”, detalha Dinis. “Dançamos para que o amor seja compartilhado. Dançamos a separação que nos une, a distância que nos aproximou e a proximidade da cura e da saúde que sonhamos”, complementa Tamires.  “Fazer este espetáculo neste momento é comprar ingressos para uma montanha-russa daquelas gigantescas”, brinca Caroline Monlleo com a lista de tensões que um espetáculo independente, remoto e ao vivo pode desencadear. Para Thais Mothé, “fazer este espetáculo é levar um pouco de conforto, esperança e resiliência para o público”“Queremos virtualmente intensificar as trocas, que foram prejudicadas em um ano tão conturbado”, expõe Nathalia Amata. 

Dois homens em fases diferentes da vida, mas que se enxergam um no outro. Duas mulheres que desenvolveram uma forte amizade, mas que não sabem direito se a relação que cultivam desperta algo maior. Uma pessoa tentando manter a sanidade e a calma e esquecendo quem é pela mesmice e indiferença dos dias. Ao longo dessas histórias, o elenco aguarda um convidado especial para o jantar: o público. “Vamos guiando os espectadores por cenas que compõem essa história. Como gotas que juntas são um oceano, nossas vidas brilham ainda mais quando nos unimos. O que separamos para o público são momentos que brilharam no dia a dia pandêmico”, expõe Tamires que não sabe ao certo até que ponto os integrantes interpretam seus próprios personagens da vida real. 

Diante do congelamento da legislação de incentivo a cultura, Dinis e Tamires comentam sobre os maiores desafios do projeto pandêmico: “Fazer um projeto de forma independente nos traz uma porção de fantasmas: Enfrentamos a possibilidade de não termos retorno financeiro mínimo, precisamos nos desdobrar, para dar conta de demandas de produção, transmissão e gravação; entre outras questões. Mas continuamos fazendo arte por acreditar no potencial de cura. Dançamos para as fagulhas de amor, mas também para as de tensão e enfrentamento”, finalizam. 

Sobre os diretores e coreógrafos

Tamires Coutinho atuou como coreógrafa e bailarina na Dinamosfera Cia de Dança (RJ). Tem em suas criações os espetáculos Aponte (2018), BORRA (2019), os vídeos eRmo (2020) e Queria Mais, de Leo Soma (2019), além de solo autoral apresentado no festival SescEntredanças 2018. Como professora de dança e coreógrafa já participou da criação de espetáculos do Gisele Alvin Espaço de Dança (RJ/desde 2015), onde trabalha com crianças, estudantes em formação de dança e adultas. É Bacharel em Dança pela Faculdade Angel Vianna. Realizou trabalhos com Flávia Tápias, Renata Versiani, Frederico Paredes, Romual Kabore, Maria Elvira Machado, entre outros nomes do cenário da dança.                                                     

Dinis Zanotto é graduado em dança pela Faculdade Angel Vianna e atua como bailarino, coreógrafo e professor de dança. fundou, integrou e coreografou a Dinamosfera Cia de Dança, participando a da criação dos espetáculos Aponte (2018), BORRA (2019) e a vídeodança eRmo (2020). Já dançou em 6 anos do carnaval carioca em comissões de frente, participou de séries e novelas da Globo (2017 e 2018) e foi bailarino das companhias dos coreógrafos Renato Vieira e Jaime Aroxa (2013 a 2017), além e trabalhar com profissionais como Márcia Rubin, Alex Neoral, Lavínia Bizotto, Regina Miranda, Gleidson Vigne, Regina Sauer etc.

SERVIÇO
O QUE VOCÊ SEPAROU DE MIM? – Grupo Mnemoni

Espetáculo online de dança

Data: 28 a 30 de maio e 4 a 6 de junho
Horário: Sessões às 18h, 19h30 e 21h (vagas limitadas por sessão)
Valor: R$ 20,00
Ingressos e formas de apoio pelo Sympla: https://cutt.ly/ubWjFdp

Ficha Técnica
Direção de Produção – MNEMONI Produções
Direção musical e Trilha sonora – Dinis Zanotto e Tamires Coutinho
Criação de Arranjos para cena LUA BRANCA – Beto Lemos
Edição dos Vídeos – Tamires Coutinho
Textos – Iago Damazio, Dinis Zanotto, Tamires Coutinho e Caroline Monlleo
Elenco:
Tamires Coutinho  |  Iago Damazio  |  Júlia Moraes  |  Dinis Zanotto  |  
Caroline Monlleo  |   Anna Franco  |  Davi Benaion  |  Thais Mothé  |  Nathalia Amata
Apoio: Pointee escola de dança e, no Catete e
Studius centro de danças e teatro, em copa

Fonte: Dica de Teatro

Voltar