06/09/2021 - Dança em Trânsito inicia o quarto mês de aulas gratuitas e online


Iniciadas há três meses, as aulas para profissionais de dança oferecidas pelo festival internacional Dança em Trânsito seguem em setembro com uma programação especial, a cargo da coreógrafa carioca Flávia Tápias, que dedica este quarto ciclo à linguagem do Grupo Tápias, companhia residente do Dança em Trânsito, a partir de quatro coreografias de seu repertório.

Sempre às sextas-feiras, as aulas têm duração de 1h30 e são gratuitas e online, mediante inscrição. Para participar é necessário enviar um breve currículo, de até três linhas, para o email online@espacotapias.com.br. Algumas aulas serão disponibilizadas para o público no canal do YouTube do Espaço Tápias

As aulas começam com SOLO, criado especialmente para a intérprete Flávia Tápias, pelo coreógrafo israelense Rami Levi, que buscou inspiração nos movimentos de animais para traduzir, para o corpo da intérprete, toda sua experiência, desenvolvida ao longo de seus trabalhos com Jean Christoph Mailot, Mats Ek, Nacho Duacho e Ohad Naharin. Nas demais semanas do mês, entram em foco três trabalhos da coreógrafa –  Sudeste / Plural (em parceria com Giselle Tápias), Sei coisas lindas de ti e Café não é só uma xícara, inspirado na obra fotográfica de Sebastião Salgado.

A 19ª edição do Dança em Trânsito começa em outubro e segue até dezembro em formato híbrido, presencial e online, percorrendo diversas cidades. Mais informações serão divulgadas à frente. Apresentado pelo Ministério do Turismo, o festival internacional é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale e Engie.

BIO FLÁVIA TÁPIAS

Coreógrafa, intérprete, diretora de movimento e professora de dança contemporânea graduada pela Faculdade Angel Vianna no Brasil. É integrante do Grupo Tápias desde 1998, no qual atua hoje como Diretora. Fundou o Grupo Tápias.France em 2012 em Paris, cidade que a acolheu em diversas residências artísticas e onde coproduziu os últimos trabalhos da companhia por diferentes instituições culturais especialmente do Les Bords de Scènes.

Diretora artística do Festival Tápias, diretora e curadora junto à Giselle Tápias dos festivais internacionais de dança contemporânea Dança em Trânsito e Correios em Movimento, realizados no Brasil.

Atua como professora de técnica de dança contemporânea/Método Tápias e composição coreográfica em diversos festivais e mostras internacionais. Nestes últimos anos se apresentou em Portugal, França, Itália, Bélgica, República Tcheca, EUA, Coreia do Sul etc.

Atou como diretora de movimento e coreógrafa em diversos eventos corporativos tais como: Rock in Rio, 201; Vet in RIO, 2019; Moda em Movimento, 2018; Verão no Rio ZOO, 2018; Prêmio Brasil Olímpico, 2017; Engie Innovation WEEK, 2018; Skol Summer ON, 2016, dentre muitos outros.

Foto: Divulgação /solo_cacilda

SERVIÇO
Aulas de Dança Contemporânea / Manutenção para profissionais de dança e artes cênicas

PROGRAMAÇÃO DE SETEMBRO (sempre às sextas)

  • 03/09  Solo (Parte do Projeto 5 Coreógrafos e um corpo) Coreografia: Rami Levi
  • 10/09  Sudeste / Plural  Coreografia: Giselle Tápias e Flávia Tápias
  • 17/09 Sei coisas lindas de ti  Coreografia: Flávia Tápias
  • 24/09  Café não é só uma xícara  Coreografia: Flávia Tápias

Horário: 13h30 às 15h, na plataforma Zoom
Inscrições: envio de currículo (3 linhas) para o email online@espacotapias.com.br

Apresentado por:
MINISTÉRIO DO TURISMO 

Patrocinado por:
INSTITUTO CULTURAL VALE 
ENGIE 

Realização:
ESPAÇO TÁPIAS  
SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA  
MINISTÉRIO DO TURISMO 
GOVERNO FEDERAL - PÁTRIA AMADA BRASIL 

Dança em Trânsito

Criado em 2002, o Dança em Trânsito é um festival internacional de dança contemporânea que tem por objetivo valorizar, promover e democratizar esta expressão artística, seja pelo intenso intercâmbio entre artistas e companhias do Brasil e do exterior, como também pela itinerância, percorrendo desde as grandes cidades até pequenas localidades no interior do Brasil, em teatros ou espaços públicos. Sua atuação abrange ainda residências artísticas, com oficinas de criação, e workshops, abrindo canais para novos talentos da dança, e a formação de plateias, estimulando o interesse pelas artes e pela dança. O festival é parte do projeto Ciudades Que Danzan, que reúne 41 cidades em diversas partes do mundo com o intuito de difundir a dança contemporânea. Desde a sua criação, o Dança em Trânsito já realizou mais de 650 apresentações de dança contemporânea, abrangendo 103 companhias nacionais e 59 internacionais, de 18 países, passando por 26 cidades no Brasil e no exterior, para um público de mais de 48 mil pessoas. A edição 2020, 100% online, envolveu 739 participantes de 68 cidades e 18 países, com um total, entre transmissões e redes sociais, de mais de 170 mil acessos.                

Sobre o Instituto Cultural Vale

O Instituto Cultural Vale parte do princípio de que viver a cultura possibilita às pessoas ampliarem sua visão de mundo e criarem novas perspectivas de futuro. Tem um importante papel na transformação social e busca democratizar o acesso e fomentar a arte, a cultura, o conhecimento e a difusão de diversas expressões artísticas do nosso país, ao mesmo tempo em que contribui para o fortalecimento da economia criativa. Em 2021, são mais de 150 projetos criados, apoiados ou patrocinados em 24 estados e no Distrito Federal. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados pela Vale via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Visite o site do Instituto Cultural Vale para saber mais sobre sua atuação: institutoculturalvale.org.

Sobre a ENGIE Brasil 

No Brasil, a ENGIE é a maior produtora privada de energia elétrica no país, operando uma capacidade instalada de 10.290 MW em 32 usinas em todo o Brasil, o que representa cerca de 6% da capacidade do país. O Grupo possui 90% de sua capacidade instalada no país proveniente de fontes limpas, renováveis e com baixas emissões de gases de efeito estufa, posição que tem sido reforçada pela construção de novas eólicas no nordeste do país e por uma das maiores hidrelétricas do País, Jirau (3.750 MW), localizada no rio Madeira e que foi inaugurada em dezembro de 2016.

O Grupo também atua na área de geração solar distribuída e oferece serviços relacionados à energia, engenharia e integração de sistemas, atuando no desenvolvimento de sistemas de telecomunicação e segurança, iluminação pública e mobilidade urbana para cidades inteligentes, infraestruturas e a indústria de óleo e gás. Contando com 3.000 colaboradores, a ENGIE teve no país em 2016 um faturamento de R$ 6 bilhões.

 

Voltar